Terapia digital para TDAH funciona? Resumo e comentários sobre estudo STAR

Será que é possível tratar a desatenção do TDAH com jogos eletrônicos?

Pode parecer um pouco paradoxal essa proposta a primeira vista, já que é muito divulgado os malefícios da exposição prolongada a telas. Principalmente para as crianças.

Piora de comportamento, impulsividade, atraso no desenvolvimento, todos esses elementos já foram relacionados com essa exposição.

Porém existem vários grupos que avaliam o intenso estímulo advindo de jogos eletrônicos como uma possível ferramenta para estimulação de funções cerebrais específicas. Memória de trabalho é a função que normalmente tem sido mais estimulada através desse método. E sim já existem estudos mostrando que alguns jogos ajudam a desenvolver a memória de trabalho.

*Observação sobre o que é memória de trabalho ->Esse tipo de memória é aquela que temos que manter para completar uma tarefa. Por exemplo, ao procuramos o local onde uma peça de quebra cabeça encaixaria precisamos nos lembrar do formato dela, do desenho da peça e escanear a imagem já montada. Quando percebemos um local com desenho cores e formato parecido tentamos encaixar a peça naquele local. Se não tivéssemos nenhuma memória de trabalho montar um quebra cabeça seria uma tarefa extremamente cansativa em que teríamos que tentar encaixar todas as peças uma a uma em cada local sem conseguir ter um contexto do todo.

No estudo STAR publicado do Lancet o objetivo é um pouco diferente de trabalhos anteriores. O que eles querem pesquisar é se houve melhora da atenção das crianças submetidos ao jogo desenvolvido pelo grupo. Eles se inspiraram em estudos anteriores que verificaram melhora da atenção em adultos com TDAH expostos a um outro jogo também desenvolvido para essa finalidade.

O jogo desenvolvido pelo grupo Tenta estimular controle atencional e flexibilidade na troca de atencional entre tarefas. O jogador deve desviar de obstáculos através da movimentação lateral do ipad, como em um volante de carro e quando objetos voarem sobre o personagem o jogador deve clicar sobre eles. Ele continuamente se adapta ao nível de habilidade do jogador.

Abaixo coloco um resumo do artigo do estudo STAR publicado no Lancet com alguns comentários finais.

Objetivo

Avaliar se intervenção digital AKL-T01 causava melhora na performance atencional em pacientes pediátricos com TDAH

Métodos

Randomizado, duplo cego, grupos paralelos, controlado.

População

Idade entre 8 e 12 anos com TDAH confirmado pelos critérios do DSM V, ADHD-RS-IV 28 ou acima, e com testagem TOVA API com notas -1.8 e abaixo e QI de 80 ou acima.

Essa testagem foi reaplicada no final da intervenção.

Critérios de exclusão: Comorbidades psiquiátricas e uso de medicações para TDAH que não pudessem ser interrompidas

De um total de 857, restaram 348 crianças randomizadas entre a intervenção (AKL-T01) ou controle



Grupo AKL-T01 N=180 Controle=180

*TOVA API é um teste aprovado pelo FDA para avaliação da atenção. Ele é uma plataforma digital em que a pessoa que está sendo avaliada deve apertar um botão quando ver um quadrado em uma determinada posição na tela.

* DSM V, ADHD-RS-IV são escalas de sintomas que o médico usa para questionar os pais e quantificar os sintomas atuais de TDAH.




Resultados (de forma bem resumida!)

Efeitos colaterais foram leves ou ausentes. Os mais relatados foram: frustração 3% e dor de cabeça 2%.

Aderência média de 83.2 de 100 (porcentagem de participação das intervenções propostas).

Mudança significativa da melhora de atenção entre os grupos pelo TOVA API

Sem mudanças nas aferições secundárias: IRS, ADHD-RS, ADHD-RS-I,ADHD-RS-H, BRIEF-Parent Inhibit and working memory or mean CGI.





*Isso significa que nas escalas que normalmente utilizamos em consultório para perguntar para pais e professores sobre como estão os sintomas da criança não apresentaram alterações significativos após o tratamento com os jogos eletrônicos.

Importância do estudo

Plataformas digitais caso se mostrem efetivas podem revolucionar os tratamentos dos transtornos do desenvolvimento por aumentar a acessibilidade e diminuir os custos de terapias.

Apesar de existir plataformas que anunciam melhorar sintomas do TDAH em crianças a maioria foca em memória de trabalho e poucos foram estudos de qualidade suficiente (randomização, grupo controle e cegamento) suficiente para ter resultados confiáveis

O que o estudo adicionou

Uso de escalas validadas pelo FDA e de uso rotineiro na prática clínica

Ampla avaliação das funções cognitivas antes de iniciar a avaliação e no final do estudo

Metodologia que aumenta a confiabilidade do estudo através da randomização, cegamento e metodologia de avaliação padronizada.

Limitações do estudo

Não avaliou paciente que estavam em uso de medicações para o TDAH, pacientes com comorbidades psiquiátricas

Conclusão e Comentários

São necessários estudos para avaliar a durabilidade desses efeitos, estudo da melhor razão entre horas por efeito que possibilitaria a melhor eficiência da intervenção, e um melhor entendimento da relação entre avaliações objetivas da atenção (TOVA) e escores subjetivos de avaliação do TDAH (como o SNAP e Vanderbilt)

Traduzindo os comentários

Não sabemos até que ponto a melhora da atenção avaliada pelo teste TOVA reflete uma melhora da atenção nas atividades do dia a dia das crianças com TDAH e é por esse motivo que ainda não é possível recomendar esse tipo de terapia. Aguardamos ansiosamente por novos estudos.


Afinal, qual pai não gostaria de falar para o filho que chegou a hora do filho fazer o seu tratamento, que no caso seria jogar videogame, e o filho viesse todo feliz e pedindo para ficar até mais do que o necessário.


Tratamento sem reclamação, sem efeitos colaterais (pelo menos não diferentes dos que temos no dia a dia com jogos e TV), e de baixo custo.


No momento permanece a dúvida, esse jogo melhora mesmo a atenção de forma efetiva para o dia a dia da criança ou ela apenas melhora a atenção da criança para jogos digitais?


Referências


ARTICLES| VOLUME 2, ISSUE 4, E168-E178, APRIL 01, 2020

A novel digital intervention for actively reducing severity of paediatric ADHD (STARS-ADHD): a randomised controlled trial Prof Scott H Kollins, PhD

Published:February 24, 2020 DOI:https://doi.org/10.1016/S2589-7500(20)30017-0


https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S2589-7500%2820%2930017-0

https://www.thelancet.com/journals/landig/article/PIIS2589-7500(20)30017-0/fulltext

30 visualizações

©2019 por Pequenos Neurônios. Orgulhosamente criado com Wix.com