NEURODESENVOLVIMENTO INFANTIL – ATÉ OS 3 MESES



O que é desenvolvimento infantil?

O conceito de desenvolvimento infantil é amplo, e diferente, de acordo com o referencial teórico e os aspectos abordados por cada profissional. Segundo Marcondes et al. (1991)1, “desenvolvimento é o aumento da capacidade do indivíduo na realização de funções cada vez mais complexas”. Nesta análise leva-se em consideração a maturação do sistema nervoso central, o desenvolvimento cognitivo, a inter-relação com o meio ambiente e com os outros2.

De maneira mais abrangente, Mussen et al. 3 nos faz lembrar que algumas particularidades devem ser levadas em consideração: (1) padrões universais: são as mudanças que ocorrem em todas as crianças, sem importar a cultura em que está inserida ou suas experiências vividas; (2) diferenças individuais; (3): influências contextuais: influência do contexto ou da situação ambiental no comportamento das crianças.

Em suma, o desenvolvimento infantil é um processo complexo, que inicia na concepção, e envolve diversos aspectos como o crescimento físico, a maturação neurológica, comportamental, cognitiva, social e afetiva da criança. Por meio desse processo, a criança torna-se competente para responder as suas necessidades e as do meio em que ela vive, considerando o contexto em que está inserida.


Avaliação do desenvolvimento da criança abaixo de três meses

A avaliação do desenvolvimento da criança é um processo complexo, que inclui uma vasta investigação sobre fatores que podem influenciar no desenvolvimento. É importante o conhecimento sobre a gestação e o parto da criança, além de afecções perinatais (logo antes e logo após o nascimento). Ainda, é importante saber a visão dos pais sobre o desenvolvimento da sua criança, entendo o que estes consideram normal4. Este último ponto é de extrema importância, pois crianças pouco estimuladas pelos pais têm grande chance de atrasos. A partir disso, é possível fazer a avaliação e a classificação do desenvolvimento da criança com um profissional atualizado e capacitado, sendo pediatra ou neurologista infantil.


O que é esperado que o bebê faça aos dois meses?

De acordo com a Sociedade Brasileira de Neurologia Infantil5, a maioria dos bebês aos dois meses fazem:

è Começa a sorrir para as pessoas

è Consegue se acalmar rapidamente (pode levar as mãos à boca e chupar a mão)

è Tenta olhar para os pais

è Começa a fazer barulhos e gorgolejar (ruído de gargarejo)

è Vira a cabeça em direção aos sons

è Presta atenção a rostos

è Começa a seguir objetos com os olhos e reconhece as pessoas de longe

è Começa a ficar entediado (chora, fica inquieto se a atividade não muda)

è Consegue manter a cabeça elevada e começa a erguer o tronco quando está de bruços

è Faz movimentos mais suaves com os braços e as pernas





Como estimular o bebê aos dois meses?

De acordo com a Sociedade Brasileira de Neurologia Infantil5, alguns estímulos podem ser feitos para ajudar no crescimento e desenvolvimento da criança:

è Abrace, converse e brinque com seu bebê na hora de amamentar, trocar de roupa e tomar banho.

è Comece a ajudá-lo a entrar em uma rotina, como dormir mais à noite do que durante o dia, e a ter atividades regulares.

è Aja com entusiasmo e sorria quando ele fizer sons.

è Copie os sons do bebê de vez em quando, mas também use uma linguagem clara.

è Converse, leia e cante para seu bebê.

è Brinque de esconder e achar o rosto. Ajude-o a brincar de esconder e achar o rosto também

è Coloque um espelho seguro para bebês no berço para que ele possa se ver.

è Olhe imagens com o bebê e converse sobre elas.

è Coloque-o de bruços quando estiver acordado e posicione brinquedos ao redor dele.

è Estimule seu bebê a levantar a cabeça colocando brinquedos no nível dos olhos, à frente dele.

è Posicione um brinquedo ou chocalho acima da cabeça dele e encoraje-o a alcançá-lo.



Como identificar possíveis sinais de atraso no desenvolvimento aos dois meses?

De acordo com a Sociedade Brasileira de Neurologia Infantil5, são considerados sinais de alerta para possíveis atraso no desenvolvimento do bebê aos dois meses:

è Não responde a sons altos

è Não observa o movimento das coisas

è Não sorri para as pessoas

è Não leva as mãos à boca

è Não consegue manter a cabeça erguida ao elevar o tronco quando está de bruços


Lembre-se que estímulos são muito importantes para um bom desenvolvimento. Caso encontre algum dos sinais de alerta citados, converse com o pediatra ou neuropediatra para melhor esclarecimento.

-


Este texto foi produzido como atividade do Projeto Padrinho Med.


O projeto Padrinho Med foi idealizado pela médica Flávia Ju e tem objetivo de aproximar os médicos dos estudantes de medicina, promovendo troca de experiências e produção de conteúdo tanto científico quanto informativo à população.



Autora do texto: Júlia Coutinho Cordeiro


Acadêmica do 7º período de Medicina da Universidade José do Rosário Vellano (Unifenas-BH)










Coautor e revisor: Marino Miloca Rodrigues - Neurologista Pediátrico.


Para mais informações sobre o coautor clique na imagem ao lado.







REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. Marcondes E, Machado DVM, Setian N, Carrazza FR. Crescimento e desenvolvimento. In: Marcondes E, coordenador. Pediatria básica. 8a ed. São Paulo: Sarvier; 1991. p.35-62.

2. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Área Técnica da Criança. Fundamentos técnicos-científicos e orientações práticas para o acompanhamento do crescimento e desenvolvimento - vol.2; Brasília: MS. No prelo 2002

3. Mussen PH, Conger JJ, Kagan J, Huston AC. Desenvolvimento e personalidade da criança. 3a ed. Traduzido por Rosa MLGL. São Paulo: Herbra; 1995

4. Brasil. Organização Mundial da Saúde. Organização Pan-Americana de Saúde. Manual para vigilância do desenvolvimento infantil no contexto da AIDPI. 2005.

5. Brasil. Sociedade Brasileira de Neurologia Infantil. Aprenda os sinais. Aja Cedo. Disponível em: https://sbni.org.br/

29 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo